Pesquisa Mafarrico

Translate

quinta-feira, 31 de março de 2011

As verdadeiras intenções da "aliança igualitária"

Reflexões de Fidel

(Extraído do CubaDebate)



ONTEM foi um dia longo. Desde o meio-dia, estive acompanhando as peripécias de Obama no Chile, como fiz no dia anterior com suas aventuras na urbe do Rio de Janeiro. Essa cidade, em brilhante desafio, derrotara Chicago em sua aspiração de ser sede da Olimpíada de 2016, quando o novo presidente dos Estados Unidos e Prêmio Nobel da Paz parecia um êmulo de Martin Luther King.



Ninguém sabia quando chegaria a Santiago do Chile e o que faria ali um presidente dos Estados Unidos, onde um dos seus antecessores tinha cometido o doloroso crime de promover a derrubada e a morte física do seu heroico presidente, torturas horríveis e o assassinato de milhares de chilenos.

Direito dos povos à insurreição armada

Direito dos povos
Insurreição Armada
"Canta, canta companheiro, que a tua voz seja disparo,

Que com as mãos do povo,

Não haverá canto desarmado"


A Carta das Nações Unidas foi lançada à imundície, o secretário-geral da ONU esteve ao nível do seu perfil, como facilitador e colaborador diligente de mais esta empreitada imperialista.

Sobre a guerra e a crise

Por Luís Carapinha



Ao compasso da mais grave crise sistémica o imperialismo clama por guerra

Prossegue a guerra de agressão contra a Líbia protagonizada por um conjunto de potências com os EUA à cabeça. Como era previsível, desde que a 17 de Março o Conselho de Segurança (CS) da ONU aprovou o vergonhoso mandato de intervenção, a «zona de exclusão aérea» tornou-se no cavalo de Tróia de uma guerra terrorista e espoliadora que tem como alvo a soberania nacional e integridade territorial líbias.

Dos 15 membros do CS nenhum se opôs à guerra, incluindo dois dos cinco países com poder de veto, a Rússia e a China, que optaram pela abstenção. Um dos 10 estados que votaram a favor de uma resolução que num farisaísmo intolerável proclama como objectivo supremo a «protecção dos civis» foi a Colômbia, precisamente um dos regimes com mais sinistro registo em matéria de direitos humanos.


Os multimilionários prosperam e as desigualdades aprofundam-se quando as economias "recuperam"

Os super-ricos do mundo



As operações de salvamento de bancos, especuladores e industriais cumpriram o seu verdadeiro objectivo: os milionários passaram a multimilionários e estes ficaram ainda mais ricos. Segundo o relatório anual da revista de negócios Forbes, há 1210 indivíduos – e em muitos casos clãs familiares – com um valor líquido de mil milhões de dólares (ou mais). O seu valor líquido total é de 4,5 milhões de milhões de dólares, maior do que o valor total de 4 mil milhões de pessoas em todo o mundo. A actual concentração de riqueza ultrapassa qualquer período anterior da história; desde o Rei Midas, os Marajás, e os Barões Ladrões [1] até aos magnates de Silicon Valley [2] e Wall Street na actual década.



Uma análise da origem da riqueza dos super-ricos, a sua distribuição na economia mundial e os métodos de acumulação esclarece diversas diferenças importantes com profundas consequências políticas. Vamos identificar essas características especiais dos super-ricos, a começar pelos Estados Unidos e faremos depois uma análise ao resto do mundo.

 


 

quarta-feira, 30 de março de 2011

O fim do sonho americano, sim não posso mais....


O fim do sonho Americano
Por Bob Herbert

Negro, nascido no Brooklyn, Bob Herbert tinha no New York Times a tarefa de ser o jornalista mais próximo a representar a voz dos desvalidos.

Era fundamentalmente um liberal, que acreditava no futuro da América vendido por Roosevelt. Sua última coluna, depois de 18 anos no jornalão, é um retrato do desalento, do fim do sonho liberal e da crise do capitalismo. Um texto para ficar na história.

Perdendo o rumo Bob Herbert

Cá estamos despejando rios de dinheiro em outra guerra, dessa vez na Líbia, e, simultaneamente, demolindo os orçamentos escolares, fechando bibliotecas, demitindo professores e policiais e destruindo nossa qualidade de vida.


Ajuda "humanitária" dos EUA aos povos- O fascismo Estadunidense

 A besta imperialista

O soldado Bradley Manning — acusado de transmitir documentos à WikiLeaks — foi declarado "inimigo" dos Estados Unidos.



As altas patentes americanas consideram um crime denunciar os crimes da sua tropa e ele será submetido a julgamento em tribunal militar.


Desde Agosto de 2010 está encerrado numa cela de 3 x 2 metros, sem luz natural, durante 23 horas por dia.


Até agora podia estar vestido na sua cela, mas o regime foi agravado e doravante tem permanecer nu. ( http://www.resistir.info/)

A besta (EUA), não perdoa aqueles soldados que não são psicopatas, os prendem em condições que atentam à dignidade da pessoa humana. Ser humano, ter compaixão para com outros sêres humanos é um grave defeito, na visão bestial dos criminosos da Casa Branca e do Pentágono, enfim, de toda estrutura fascista do estado Americano.
 
 
Outras ajudas "Humanitárias" e outros regalos do Exército Americano e seus soldados psicopatas aos povos do mundo.
 
AFEGANISTÃO
 
Soldado psicopata Americano proporciona "humanitáriamente" a paz dos cemitérios á civil Afegão. Esses "heróis" americanos, se intitulavam , de forma doce e meiga, o " time da morte". Estão naquele país levando a "democracia" e "ajuda humanitária"  dentro dos padrões ocidentais e cristãos. Eles não matam, na verdade quem mata é Deus! somente fazem o furo na cabeça dos civis inocentes.
 

 

terça-feira, 29 de março de 2011

Brasil : 11,2 milhões de pessoas com insegurança alimentar grave

Agronegócio não garante segurança alimentar

Por Raquel Júnia,

Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, 70% do que comem os brasileiros vem da agricultura familiar

No Assentamento Americana , no município de Grão Mogol, região norte de Minas Gerais, há de tudo um pouco - hortaliças, legumes, frutas, frutos típicos do bioma cerrado que cobre a região, criação de animais. De acordo com o Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA NM), que presta assessoria aos assentados desde o início da ocupação da área, tecnicamente o que está sendo desenvolvido na região é o que se chama de sistemas agroflorestais e silvipastoris - ou seja, a conciliação de atividades agrícolas com a criação de animais e o extrativismo, de forma a garantir a preservação do bioma cerrado e também a produção de alimentos saudáveis. A situação dos moradores do assentamento Americana, onde, segundo eles próprios, "há de tudo um pouco", é um exemplo de como a agricultura familiar, sobretudo a prática agroecológica, podem garantir a segurança e a soberania alimentar.

O dr. Cavaco Silva, Enquanto economista (como ele se pretende) é um mau médico. Enquanto Presidente da República… é uma pena! E, às vezes, uma vergonha para todos nós por ser o que é, e como lá chegou

Um discurso esclarecedor (De quê? Sobre quem o fez!)


Neste torvelinho, notas para não se esquecer um insurpreendente discurso do método do falso economédico à cabeceira do doente imaginário mas realmente paciente.

As primeiras tentativas de «construção» sistematizada de um pensamento económico tiveram por base a analogia com a circulação do sangue no corpo humano. Para o que não foi indiferente, obviamente, o facto de o «chefe» dessa primeira «escola económica» – dos fisiocratas – ser um médico, o dr. Quesnay.

Isso sabe o recentemente empossado Presidente da República, há menos de dois meses eleito pela «esmagadora» maioria de um em cada quatro portugueses votantes e menos de metade dos que votaram, de profissão economista e que tem feito questão, à maneira do médico Quesnay, em fazer diagnósticos, alguns bem tardios mas sempre como se fossem prognósticos e ele, bruxo, se estivesse a antecipar ou, oráculo, a dizer a última e definitiva palavra.

domingo, 27 de março de 2011

Mulheres e crianças Iraquianas: As vítimas preferenciais da Besta(EUA) imperialista e seus soldados e mercenários psicopatas

A Situação das Mulheres e das Crianças
no Iraque Ocupado

Extractos do depoimento de Haifa Zangana
 
Num passado recente as mulheres iraquianas eram das mais emancipadas da região, com um elevado nível de educação e presentes em todas as esferas da vida profissional, onde desempenharam um papel activo e contribuíram para o progresso da sociedade. Hoje, estão empurradas para um canto, apertadas entre o esforço de sobreviver à destruição provocada pela guerra e as políticas feudais e sectárias (em nome da religião) promovidas pela classe política instalada no poder desde 2003.

Um fenómeno novo no Iraque é o casamento temporário. Um homem casa com uma mulher na presença de uma figura religiosa e especifica por quanto tempo vai durar o casamento, podendo ir desde algumas horas até muitos anos. É um contrato a termo, onde um homem paga a uma mulher um pequeno dote. A maioria das mulheres que aceitam casamentos temporários fazem-no apenas por necessidades materiais. Esta prática é vista como uma forma de prostituição religiosa.

REDUZIR CO2 NÃO IMPEDE O AQUECIMENTO GLOBAL

LUIZ CARLOS MOLION: REDUZIR CO2 NÃO IMPEDE O AQUECIMENTO GLOBAL


Caros leitores.


Este artigo do Professor Luiz Carlos Molion, mesmo datado de dezembro de 2009, permanece atual pois a "Lavagem Cerebral", produzida pela grande mídia nacional e internacional, pelas criminosas ONGs internacionais e seus agentes infiltrados em todos os países e governos e pelas Potências Mundiais e seu Capital, continua cada vez mais, insandecida!

O Bombardeio Midiático promovendo a "Farsa do Aquecimento Global Antropogenico", com a clara intenção (só idiotas não vêm esse fato) de interromper o crescimento das nações emergentes e subdesenvolvidas, não para nunca!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Pretender reafirmar a soberania brasileira (Amazônia ) nessa região apelando para equipes, armamentos e tecnologia bélica dos Estados Unidos constitui um maiúsculo ERRO


É a Amazônia, estúpido!
Por  Atilio Boron  

Todos recordam aquela frase com a qual Bill Clinton desarmou George Bush pai na competição presidencial de 1992. Uma expressão parecida poderia ser utilizada no momento atual, quando muitos pensam, no Brasil e no exterior, que Obama esteve de visita a esse país para vender os F-16 fabricados nos Estados Unidos, neutralizando seu competidor francês, e para promover a participação de empresas estadunidenses na grande expansão futura do negócio petroleiro brasileiro.


Também para assegurar uma administração confiável e previsível à sua insaciável demanda de combustível, mediante acordos com um país do âmbito hemisférico menos conflitivo e instável do que seus provedores tradicionais do Oriente Médio ou da própria América Latina. Além disso, a pasta de negócios que Obama trouxe incluiu a intervenção de empresas de seu país na renovação da infra-estrutura de transportes e comunicações do Brasil e nos serviços de vigilância e de segurança requeridos pela Copa do Mundo de Futebol (2014) e dos Jogos Olímpicos (2016).
 
 

O povo português está à Rasca!!!....Mas, Paulo Azevedo da SONAE, continua a ganhar com a crise e vive à sombra e à mesa do Orçamento



É um burguês!
Por João Frazão


Veio-me à ideia um dos poemas do Ary, do conjunto «Três retratos à lá minuta», quando, ao folhear o JN de domingo, tropeço numa entrevista ao presidente executivo da SONAE SGPS. São duas páginas em que o engenheiro químico, licenciado na Suíça, «arrotando riqueza acumulada», se vangloria dos resultados da sua empresa (ele não diz, mas cresceram mais de 12% no ano passado, para os 192 milhões de euros), afirmando o seu optimismo face aos tempos que se avizinham.

Em meio de negócios feitos e negociatas a fazer – «um baú de tolices. Uma chatice» – Paulo Azevedo pronunciou-se sobre a situação do País, aproveitando para, pasme-se, solidarizar-se com «as gerações mais novas» que «têm razões de protesto».



 

Obama, gerente do império do mal...representa a plutocracia americana, dona do complexo industrial-militar e Wall Street

Nota de repúdio da Casa da América Latina

FORA OBAMA



A Casa da América Latina repudia que o líder da nação mais covarde e sanguinária do planeta contamine nosso território com a sua nefasta presença e de sua comitiva espúria.

Não se trata de um visitante qualquer, estamos sob o incômodo de um representante do império do mal, que para manter o elevado padrão de vida do seu povo é capaz de impor à nossa América Latina ditaduras assassinas, como ocorreu, não só em 1964, com o Brasil, mas, praticamente em todo o continente.

quinta-feira, 24 de março de 2011

O sensível Obama (Prêmio Nobel da Paz) e seu conceito de democracia imposta à Líbia, Afeganistão, Iraque e etc

Democracia Tomahawak

Por José Casanova


Estamos fartos de saber que o presidente Obama é pessoa de extrema sensibilidade. Mostra-o todos os dias no Afeganistão, no Iraque, na Colômbia, nas Honduras, enfim em todo o lado onde é necessário defender e aplicar os direitos humanos, a liberdade e a democracia.

E só não o mostra do mesmo modo noutros países – como a Venezuela, a Bolívia, o Equador, a Nicarágua… – porque ainda não teve condições para o fazer, mas logo que possa…

Agora, chegou a vez da Líbia ser alvo da apurada sensibilidade do presidente dos EUA – sensibilidade partilhada, com a tradicional fidelidade canina, pelos seus lacaios europeus – na modalidade de ajuda humanitária ou de protecção a civis.

Picaretas e ladrões no Parlamento Europeu?..........até parece que é novidade!

Corrupção no Parlamento Europeu


Três deputados do Parlamento Europeu morderam o isco que lhes foi lançado por uma equipa de jornalistas do jornal britânico Sunday Times, concordando em aceitar pagamentos pela introdução de emendas em diplomas legislativos, nos quais o hemiciclo de Estrasburgo tem a última palavra.



O escândalo foi revelado no passado fim-de-semana e provocou de imediato a demissão de dois deputados tendo o terceiro abandonado o seu partido.

O corpo

Tempos de vivência do supérfluo

O corpo industrial

Esse conjunto de práticas físicas que violentam um corpo posturalmente frágil são marcas de um capitalismo impiedoso
 
 
Enquanto componente da História humana, a história do corpo não pode deixar de ser atendida na sua relação muita significativa com o capital e a industrialização.

Texto escrito por  Luís Coelho


Apesar de ter sido relegada para segundo plano por um ainda bem vivo platonismo milenar, a historicidade corpórea não deixa de se consubstanciar como significante, ainda mais porque existe um paralelo entre a actividade laboral e ocupacional humana e a forma como o corpo é usado, tratado e investido; paralelo que expressa quase sempre uma noção de instrumentalização, num objecto corporal que foi tantas vezes fortemente maltratado, seja num sentido utilitário, seja num sentido mais abstracto.


quarta-feira, 23 de março de 2011

Se alguém pensava que cinismo tem limites, esse caso do bombardeio à Líbia mostra que não

O CINISMO NÃO TEM LIMITES
Por Amauri Soares



Se alguém pensava que cinismo tem limites, esse caso do bombardeio à Líbia mostra que não. E o que mais dá nojo é o representante do império vir anunciar que determinou o ataque à Líbia aqui no território brasileiro, entre gorfadas de champanha com a nossa presidenta, e ex-guerrilheira Dilma

Apesar de não confiar "nenhum pouquinho assim" no império, apesar de nunca ter visto possibilidade de política de esquerda no governo Dilma (e nem no governo Lula) não teve como não ficar espantado com os noticiários do último sábado. Com os dois pés firmes em solo brasileiro, Obama disse aos seus que era para bombardear a Líbia. Pediu licença para os nativos, foi até um espaço reservado, apenas com os jornalistas gringos, e anunciou que tinha determinado o ataque. Em nome da liberdade, é claro.

terça-feira, 22 de março de 2011

Governo brasileiro se curva ao imperialismo

VADE RETRO, OBAMA!
Nota Política do PCB


A vinda de Obama ao Brasil foi um gesto forte que marcou, para o Brasil e o mundo, um claro movimento de estreitamento das relações entre os governos brasileiro e norte-americano. O governo Dilma aponta para a continuidade, em nova fase, das ações de defesa dos interesses do capitalismo brasileiro no exterior.

A agenda midiática da visita sinaliza claramente um realinhamento do Brasil ao imperialismo norte-americano. Obama, por decisão do novo governo, foi o primeiro estadista estrangeiro a visitar o Brasil após a posse de Dilma. Mas não foi uma visita qualquer.

Os soldados psicopatas dos EUA / OTAN e seus valores "democráticos" impostos ao povo Afegão.

A PAX AMERICANA E SEUS MÉTODOS DE TORTURA E MORTE


Esta imagem mostra o corpo de Gul Mudin, filho de um agricultor Afegão. Um membro do " time da morte " americano posando junto ao seu corpo.



O Ataque Imperialista a Líbia

Líbia: O maior empreendimento militar desde a invasão do Iraque

– Rumo a uma operação militar prolongada


por Michel Chossudovsky


- Mentiras rematadas dos media internacionais: Bombas e mísseis são apresentados como instrumentos de paz e de democratização.

- Isto não é uma operação humanitária. O ataque à Líbia abre um novo teatro de guerra regional.

- Há três diferentes teatros de guerra no Médio Oriente - região da Ásia Central: Palestina, Afeganistão e Iraque.

- O que está a desdobrar-se é um quarto Teatro de Guerra EUA-NATO no Norte de África, com risco de escalada.

- Estes quatro teatros de guerra estão funcionalmente relacionados, fazem parte de uma agenda militar integrada EUA-NATO.

O bombardeamento da Líbia esteve no estirador do Pentágono durante vários anos, como confirmado pelo antigo comandante da NATO, general Wesley Clark.


 

domingo, 20 de março de 2011

Líbia é atacada....EUA e Europa querem saquear e roubar o seu petróleo

Nova Guerra Colonial

O imperialismo acaba de lançar uma nova guerra colonial.

Um impressionante conjunto de forças militares iniciou a agressão contra a Líbia.

A aprovação da Resolução 1973 pelo Conselho de Segurança da ONU foi uma ruptura com o direito internacional.

Ela foi possível graças à capitulação da Rússia, da China, do Brasil e dos demais países que ali se abstiveram (a máscara "progressista" do governo Dilma caiu rapidamente) .

sábado, 19 de março de 2011

Obama, criminoso e desastroso “herói americano”?

Obama,
mais um desastroso “herói americano”?
Escrito por José Carlos Moutinho   

 Com muito respeito às histórias em quadrinhos, nos perguntamos: quem vem lá, voando direto dos Estados Unidos da América do Norte, ou dos "States"? Será o Capitão América, o Superman ou o Homem de Ferro? Ah, é o Obama, um novo "herói americano". Mas ele é tão bem divulgado (nos televisores mundo afora) quanto foram os "heróis" mais antigos, sempre dispostos a mostrar a força anglo-saxônica daquele país do Norte.

Com certeza, Obama é um "herói" diferenciado, mas não tão diferente e menos desastroso que os demais (do Reagan e dos Bush). Trata-se de mais um herói comandado pela oligarquia estadunidense, sobretudo das corporações ávidas por se apossar do petróleo alheio. Na verdade, não sabemos ao certo se os EUA são um país, uma corporação ou um exército. Obama foi eleito com a imagem da mudança – Yes, we can –, mas nada mudou.

sexta-feira, 18 de março de 2011

BE(Bloco de Esquerda) - Miguel Portas tenta justificar o inexplicável - O voto pela intervenção imperialista na Líbia

BE-Partido ruidoso, mas submisso ao Capital
Bloco do Esquerda-BE... Um voto revelador
Por Margarida Botelho


«Solicita à UE e à comunidade internacional que tomem todas as medidas possíveis para isolar completamente Kadhafi e o seu regime a nível nacional e internacional; (…) nenhuma opção prevista na Carta das Nações Unidas pode, por conseguinte, ser descartada; solicita à Alta Representante e aos estados-membros que se mantenham disponíveis para uma decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre novas medidas, incluindo uma zona de exclusão aérea (…).»

Esta é parte do texto de uma Resolução aprovada no Parlamento Europeu (PE) sobre a Líbia.

Ora, como se pode facilmente compreender pelos dois extractos aqui reproduzidos, a Resolução do PE defende a intervenção militar, dado que sem esta não pode haver zona de exclusão aérea.

Sócrates - O Lacaio da UE - E a sentença do tipo colonial a Portugal ditada pela Alemanha e pela França que decorre do proposto «Pacto para a Competitividade»

Sócrates- o lacaio da UE ( Alemanha e França )

A saga socrática e a UE


Por Maurício Miguel


José Sócrates e toda a comitiva do Governo PS que participa nas reuniões do Conselho em Bruxelas costumam levar na mala chouriços, salpicões, azeitonas, pastéis de bacalhau, queijos e vinhos de várias regiões do nosso País. Por vezes, quando as temperaturas o permitem, assegurando-se de que as iguarias não se estragam, levam mesmo um cozido à portuguesa, umas sardinhas de escabeche, um arroz de tomate com carapaus fritos, um bacalhau à lagareiro ou outros pratos da época. Já se fala em festa de arromba no Verão: anuncia-se uma sardinhada! Nos intervalos das reuniões é ver todos os assessores governamentais a sacar do farnel, estender a toalha no parque mais próximo da cidade, preparando a chegada do primeiro-ministro, cujo chega sempre acompanhado por Angela Merkel (Alemanha), Nicolas Sarkozy (França), David Cameron (Grã-Bretanha), José Luiz Zapatero (Espanha), entre outros. Pelo que nos tem sido contado – nestes banquetes não entramos –, Merkel pergunta sempre pelos pequenos pastéis de Belém e Zapatero pelos chouriços alentejanos. Este último tem mesmo dito, à boca pequena, com uma pancadinha nas costas de Sócrates – que o deixa orgulhoso –, que os chouriços portugueses são melhores que os espanhóis.


quinta-feira, 17 de março de 2011

Portugal: subordinação colonial à UE

Guerra social e subordinação colonial

Líderes da Zona Euro concertam ataque social e à soberania
 
As decisões da cimeira da zona euro, decorrida dia 11, «configuram uma autêntica declaração de guerra contra os direitos sociais e laborais dos trabalhadores e povos da Europa e uma sentença de dependência de tipo colonial a países como Portugal», afirmam em comunicado os deputados do PCP no PE.

Num processo promovido pelo grande capital, que procura concentrar o poder económico e político no directório de potências europeias, no qual se destacam a Alemanha e a França, o aprofundamento da «governação económica» através do «Pacto para a competitividade» (agora rebaptizado de «Pacto para o Euro»), tem como objectivo a redução dos direitos dos trabalhadores e a destruição do que resta do chamado «Estado Social».

Assalto aos bilhões de dólares do fundo soberano da Líbia está em marcha

A régua e esquadro
Por Pedro Guerreiro


A situação na Líbia, assim como o conjunto de acções que visam possibilitar a agressão militar do imperialismo a este país têm tido rápidos e contraditórios desenvolvimentos nos últimos dias.



Os preparativos militares, as medidas e sanções políticas e económicas e a orquestrada e monumental campanha de desinformação estão montadas. Para finalizar o cenário, faltará a decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas que suporte e branqueie a agressão militar, eufemisticamente designada de «zona de exclusão aérea».

Marx - Desvendando os direitos humanos... da burguesia

A construção do Homem no jovem Marx
Por Augusto Buonicore



Marx analisou cada um dos direitos fundamentais presentes na constituição francesa – os direitos à liberdade, à igualdade e à fraternidade – procurando responder no que consistiriam esses direitos.
 
Em outubro de 1843, após o fechamento da Gazeta Renana, Marx transferiu-se para Paris, considerada o coração da revolução europeia. Ali, juntamente com Arnold Ruge, pôs em prática seus planos para a publicação de uma revista teórica e política que seria denominada Anais Franco-Alemães. No início de 1844 saiu o primeiro número.


A revista tinha por objetivo a criação de uma imprensa livre – livre para dispor de si própria como muito bem apetecer, vivendo segundo suas próprias leis e fazendo a união real do espírito alemão com o espírito francês, encontro este com significado profundamente humanista. Ou seja, era uma obra que pretendia unir o espírito prático/revolucionário francês à filosofia clássica alemã. Unir o cérebro e o coração da revolução européia da época.

Nos Anais, que não sobreviveram ao primeiro número, Marx publicou dois artigos, A Questão Judaica e a Introdução à Crítica da Filosofia do Direito, através dos quais deu os primeiros passos que o libertariam do democratismo revolucionário pequeno-burguês e o conduziriam pela senda do comunismo.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Brasil :As empresas gigantes do cultivo da cana têm assumido a educação formal na região centro-sul do país

Crianças em disputa: o ataque do capital
Por Roberta Traspadini


1.O Projeto Agora: a educação formal a serviço do capital

Neste texto trataremos como as empresas gigantes do cultivo da cana têm assumido a educação formal na região centro-sul do país, que concentra praticamente 90% de toda produção canavieira do Brasil.

Cem municípios da região centro sul, espalhados por São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Goiás, encubam o processo de educação formal denominado Projeto Agora.

Este projeto dirigido para a educação formal de educandos da 7ª. e 8ª. series, com idade entre 12 a 15 anos, é uma parceria público-privada entre instituições governamentais, alguns sindicatos e o grande capital. Itaú, Monsanto, Basf, Dedine, CEISI, Amyris, BP, FMC e SEW Eurodrive, são as empresas centrais do processo.



Carta aberta de Roger Waters (do Pink Floyd) sobre o muro do apartheid israelense

Carta aberta de Roger Waters (do Pink Floyd) sobre o muro do apartheid israelense

Em 1980, uma canção que escrevi, "Another Brick in the Wall Part 2", foi proibida pelo governo da África do Sul porque estava a ser usada por crianças negras sul-africanas para reivindicar o seu direito a uma educação igual. Esse governo de apartheid impôs um bloqueio cultural, por assim dizer, sobre algumas canções, incluindo a minha.

Vinte e cinco anos mais tarde, em 2005, crianças palestinas que participavam num festival na Cisjordânia usaram a canção para protestar contra o muro do apartheid israelita. Elas cantavam: "Não precisamos da ocupação! Não precisamos do muro racista!" Nessa altura, eu não tinha ainda visto com os meus olhos aquilo sobre o que elas estavam a cantar.

terça-feira, 15 de março de 2011

Obama vem ao Brasil

VEM AÍ O TERRORISTA OBAMA – MÃO NA CARTEIRA
Por Laerte Braga

A embaixada do conglomerado EUA/ISRAEL TERRORISMO S/A em Brasília está se empenhando em transformar a chegada do presidente do grupo, Barack Hussein Obama, num prolongamento do carnaval brasileiro.

 

O anticomunismo no cinema



CÍRCULO DE FOGO:

O ANTI-COMUNISMO PÓS-GUERRA FRIA


Por Sérgio Prieb (1)





A invasão da União Soviética pela Alemanha nazista

A invasão da Polônia no dia 1º de setembro de 1939 pelas tropas alemãs e a reação da Inglaterra e França em seu socorro deram início à Segunda Guerra Mundial. Mesmo com a declaração de guerra é importante lembrar que os EUA manteve neutralidade em relação ao conflito e mesmo com a declaração de guerra, Inglaterra e França não se empenharam em barrar o avanço das tropas alemãs no território polonês, o que se convencionou chamar de “guerra estranha”.

 

sexta-feira, 11 de março de 2011

Os EUA e seus soldados psicopatas assassinam 9 crianças no Afeganistão


Depois do assassinato de mais nove crianças afegãs

Protestos contra a ocupação

«Forças ocupantes( soldados psicopatas dos EUA) mataram pelo menos 74 civis desde meados de Fevereiro »


Uma multidão de afegãos manifestou-se, domingo, em Cabul, contra a ocupação e acusou os EUA de serem responsáveis pela morte de civis e pela destruição do país.

O protesto, no qual se exigiu a imediata saída das tropas estrangeiras do território e se denunciou os crimes cometidos durante a ocupação, segundo informações divulgadas pela agência Xinhua, antecedeu a visita do secretário da Defesa norte-americano ao país.

 

Ontem, hoje e sempre Comunista

Sempre comunista
Por José Casanova
O 90.º aniversário do PCP proporcionou aos comentadores do costume os comentários do costume. É assim há muitos anos. Há noventa para ser mais preciso.

Durante o regime fascista – hoje cirurgicamente alcunhado pelos historiadores do sistema de «antigo regime» ou «estado novo» – o «fim do chamado partido comunista português» foi diversas vezes anunciado e celebrado em jornais, discursos e missas. E enquanto tais anúncios e celebrações tinham lugar, o PCP continuava a enfrentar o fascismo, a resistir-lhe, a bater-se pela liberdade e pela democracia – e, recorde-se uma vez mais, era o único partido a assumir tal postura, na medida em que todos os outros tinham acatado obedientemente a dissolução decretada por Salazar.

De então para cá, sabemos – porque os comentadores do costume assim vêm comentando desde há mais de três décadas – que o PCP padece de «irreversível definhamento».

quinta-feira, 10 de março de 2011

O Povo Francês deseja revoltar-se



Franceses desejam
revoltar-se

Mais de metade dos franceses desejaria uma revolta popular no seu país, revelou um inquérito encomendado pelo L'Humanité Dimanche, que dá conta de um agravamento das desigualdades sociais num dos países mais ricos da Europa.

Em simultâneo, a sondagem, realizada entre 10 e 13 de Fevereiro, indica que uma percentagem praticamente idêntica considera que o povo francês não seria capaz de levar a cabo a revolta. Ainda assim, entre os 58 por cento de partidários da rebelião, 49 por cento acreditam que o conjunto do povo pode realizá-la.


Impedir a guerra

É tempo de Impedir a guerra

Por Ângelo Alves



A retórica imperialista e a «tenda mediática» montada em torno da Líbia remete-nos para Março de 1999, a data da agressão da NATO à Jugoslávia que resultou no desmembramento da federação jugoslava, em crimes imensos contra aquele povo que ainda hoje afectam aquelas populações e na instalação de bases militares e protectorados dos EUA e da NATO na região.

Facebook



Facebook, ingenuidades e reaccionarices
Por Manuel Gouveia




Ingénuo é todo aquele que escrevendo um texto no seu blog, ou no seu mural do facebook, acredita ter enviado uma mensagem a milhões. Como o é quem acreditar que a acção marcada para 12 de Março deve a sua projecção nacional «ao facebook». Como ingénuo está a ser quem acreditar que a decisiva projecção que esta recebeu dos média nasceu da «força do facebook» e das «redes sociais».



A INCORPORAÇÃO SUBALTERNA BRASILEIRA AO CAPITAL-IMPERIALISMO

A INCORPORAÇÃO SUBALTERNA BRASILEIRA AO CAPITAL-IMPERIALISMO
Por Virgínia Fontes*

Neste texto – “visão extremamente sintética da segunda parte do seu livro O Brasil e o capital-imperialismo: Teoria e História” –, Virgínia Fontes ajuda-nos a “Compreender o processo brasileiro atual [o que] exige incorporar e ir além dos indicadores, averiguando a forma da política, isto é, a maneira pela qual se organizam, formulam e expressam as vontades socialmente organizadas, identificando os principais fulcros de luta social.” E conclui que “fermentam novas contradições [no Brasil], pois se traduzem numa ampliação vertiginosa da classe trabalhadora, contraposta a um punhado de grandes capital-imperialistas brasileiros e seus gigantes aliados de procedência externa, ainda que cercados de subservientes egressos do âmbito sindical. Assim como ao longo do século XX, tudo leva a crer que as exigências igualitárias retornarão, já tendo feito agora a experiência da democracia menor que o capital-imperialismo contemporâneo tem a oferecer

quarta-feira, 9 de março de 2011

Encontro Sócrates-Merkel:O grau de subserviência e dependência do governo português face aos grandes grupos económicos e financeiros



Encontro Sócrates-Merkel:
um acto de subserviência, mais um passo no roubo aos trabalhadores, ao povo e ao país


Conferência de Imprensa, Ângelo Alves, membro da Comissão Política do CC do PCP




O carácter decisivo atribuído ao Encontro do Primeiro-Ministro e do Ministro das Finanças com a Chanceler alemã Angela Merkel, bem como, a discussão que a seu propósito se desenvolveu em torno da erradamente chamada “ajuda” ao Estado português, são, por si só, demonstrativos do grau de subserviência e dependência do governo português face aos grandes grupos económicos e financeiros das principais potências capitalistas europeias e ao directório de potências da União Europeia, em particular a Alemanha.

As consequências da difusão mundial da contra-cultura exportada pelos EUA.

A Contra-Cultura na crise de Civilização

Por Miguel Urbano Rodrigues


Neste artigo, Miguel Urbano Rodrigues chama a atenção para as consequências da difusão mundial da contra-cultura exportada pelos EUA. «A satanização do socialismo e a apologia do capitalismo como sistema supostamente democrático e até progressista – escreve - são ingredientes básicos do massacre mediático orientado para a formatação do homem alienado, inofensivo para a engrenagem do poder».


terça-feira, 8 de março de 2011

Iraque: a invasão e o saque imperial e contínuo dos seus recursos.

A guerra invisível

Kamil Mahdi


Fonte: ODiario.info
Tradução de José Paulo Gascão

Os Estados Unidos continuam a pintar um panorama cor-de-rosa sobre o progresso no Iraque, mas a realidade é a de pobreza extrema, de violência, de tortura e de corrupção política num país que ainda sofre as sanções, a invasão e o saque imperial e contínuo dos seus recursos.

Continuam a recorrer à guerra e às sanções para manipular e controlar o Iraque. O recente livro de Joy Gordon sobre as sanções e a política estadunidense, mostra que estas não foram utilizadas pelos Estados Unidos e pela Grã-Bretanha não como alternativa à guerra, como acreditaram muitos dentro da comunidade internacional, mas como o meio de debilitar o Iraque na preparação da guerra.

“A luta comum é contra a financeirização de tudo”




A economista Sandra Quintela discute desde a construção da CSA à dívida pública; do Haiti à crise ambiental mundial



Leandro Uchoas- Rio de Janeiro







No Rio de Janeiro, megaprojetos de desenvolvimento estão sendo instalados a um alto custo socioambiental. O Brasil sofre com um modelo atrasado de desenvolvimento e com o crescimento galopante de sua dívida pública. Na América Latina, povos inteiros enfrentam as mais distintas dores. Assuntos diversos? Sandra Quintela, recentemente nomeada coordenadora regional da Rede Jubileu Sul, uma articulação de movimentos e ONGs de países do Sul, prova que não. Nesta entrevista, ela fala dos resultados da missão de entidades à região de Sepetiba para investigar os danos socioambientais da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA). Aborda também o drama vivido pelo Haiti, as causas da dívida pública brasileira e as estratégias equivocadas de enfrentamento à crise socioeconômica global.


 

segunda-feira, 7 de março de 2011

A inevitável guerra da Otan

A inevitável Guerra da NATO

Por Fidel Castro Ruz




Diferentemente do que ocorre no Egito e na Tunísia, a Líbia ocupa o primeiro lugar no Índice do Desenvolvimento Humano de África e tem a mais alta esperança de vida do Continente. A educação e a saúde recebem especial atenção do Estado. O nível cultural da sua população é sem dúvida o mais alto. Os seus problemas são de outra natureza. A população não carecia de alimentos e de serviços sociais indispensáveis. O país requeria abundante força de trabalho estrangeira para levar a cabo ambiciosos planos de produção e desenvolvimento social.

Por isso, dava emprego a centenas de milhares de trabalhadores egípcios, tunisinos, chineses e de outras nacionalidades. Dispunha de enormes rendas e reservas de divisas convertíveis, depositadas nos bancos dos países ricos, com as quais adquiria bens de consumo e, inclusivamente, armas sofisticadas que lhe vendiam, precisamente, os mesmos países que hoje querem invadi-la em nome dos direitos humanos.

A colossal campanha de mentiras, desenvolvida pelos meios massivos de informação deu lugar a uma grande confusão na opinião pública mundial. Passará algum tempo antes que se possa reconstruir o que realmente ocorreu na Líbia e separar os factos reais dos falsos, que se têm divulgado.


domingo, 6 de março de 2011

Portugal:Se não tivesse ocorrido o golpe militar na madrugada de 25 de Abril, como teria sido o 1.º de Maio de 1974?

Intensas lutas populares nos últimos anos do regime

O fascismo não caiu por si

Se não tivesse ocorrido o golpe militar na madrugada de 25 de Abril, como teria sido o 1.º de Maio de 1974?

Observa-se o ascenso das lutas dos trabalhadores, nas fábricas, no comércio, nos campos, nos transportes, na banca, nas pescas; olha-se as movimentações de contestação aberta do fascismo a alastrar entre os estudantes do ensino superior e do secundário, recorda-se episódios que denotavam crescente descontentamento nos meios militares e entre os intelectuais, na Igreja.

Atenta-se no incremento da repressão e vê-se grandes manifestações de solidariedade com dirigentes detidos, mas também com trabalhadores em luta.

 

As eleições legislativas de 25 de Fevereiro na Irlanda representaram uma tremenda derrota para os partidos governantes Fianna Fail e Verdes


Irlandeses votam pela ruptura
Rejeitar a dívida

As eleições legislativas de 25 de Fevereiro na Irlanda representaram uma tremenda derrota para os partidos governantes Fianna Fail e Verdes, permitindo uma espectacular subida do Sinn Féin, bem como dos trabalhistas e de outros pequenos partidos.

Os conservadores do Fine Gael (FG) foram os mais votados com 35,51 por cento e 75 deputados, num total de 165, ficando longe da maioria absoluta. Seguiram-se os trabalhistas que obtiveram o seu melhor resultado de sempre com 19,65 por cento dos votos e 37 lugares.

Partido Comunista Português 90 anos

Os primeiros 90 anos
Editorial do ODiario.info



Comemoram-se no dia 6 de Março de 2011 os 90 anos da fundação do Partido Comunista Português. Ao evocar esta já tão longa existência há uma constatação que ninguém poderá honestamente contestar: a estes 90 anos está directamente ligado tudo o que de mais relevante foi historicamente construído pelos trabalhadores e pelo povo português.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Perante as violações brutais dos direitos humanos, todas as religiões históricas enraizadas em tão gigantescas áreas calam-se

Movimento, oportunismo e acção

Por Jorge Messias


O labirinto de becos e vielas em que os capitalistas atolaram a humanidade só pode ser corrigido com a resistência frontal que exclui radicalmente a injustiça e o oportunismo. É a coragem popular que enfrenta a força bruta dos poderosos e as ditaduras dos monopolistas.
 
Por outras palavras: na «sociedade de consumo» – que fulminantemente se transforma em «sociedade policial e concentracionária» – apagam-se valores morais que o marxismo jamais desprezou, como a dignidade da pessoa humana e o direito à liberdade. Sucedem-se por toda a parte os roubos, as traições, as mentiras e as promessas vãs. A superioridade moral dos comunistas, ausentes dos escândalos públicos onde impera à solta o grande capital, prova uma vez mais que a afirmação dos grandes valores éticos figura na primeira linha das trincheiras da sua luta de classes. Sem cedências oportunistas. Não esquecendo os crimes nem brindando os culpados com um perdão desonesto. Mas trabalhando para traçar os rumos de um futuro colectivo de progresso, liberdade e de igualdade perante a lei.

Dizia Karl Marx acerca do trabalho revolucionário: «Não nos apresentamos perante o mundo com um novo princípio: eis a nossa verdade… ponde-vos de joelhos ! Mostramos-lhe porque é que ele na verdade luta e porque a consciência é um valor que deve adquirir mesmo que a não deseje».