Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Tragédia no Mediterrâneo - UE quer as riquezas de África, mas não quer as pessoas

Imagem
Tragédia no Mediterrâneopor Albano Nunes"UE quer as riquezas de África, mas não quer as pessoas"
"Na União Europeia a classe dirigente agitou-se, fez minutos de silêncio e exibiu falsos sentimentos de compaixão, prometeu medidas que contribuíssem decisivamente para que semelhantes tragédias terminassem. Mas o que fez foi precisamente o contrário. Reforçou a «Europa fortaleza», dificultou ainda mais a emigração legal e a concessão do estatuto de refugiado, introduziu critérios seletivos à emigração de acordo com o interesse das grandes empresas e alimentou a fuga de cérebros, chegou mesmo ao ponto de substituir a operação italiana Mare Nostrum com vocação para a busca e salvamento no alto mar pela operação Tritão com menos meios e exclusivamente orientada para a vigilância das fronteiras da UE. "

Depois da tragédia de Lampedusa que em Setembro de 2013 sobressaltou o mundo, um naufrágio de ainda maiores proporções vitimou em 19 de Abril último cerca de 900 homens, mul…

1.º de Maio 125 anos de luta e solidariedade internacionalista

Imagem
1.º de Maio 125 anos de luta e solidariedade internacionalistapor Américo Nunes
"Provavelmente não há data histórica com mais de um século que continue a ter a mesma actualidade e a prosseguir os mesmos objectivos que estiveram na sua origem. O 1.º de Maio continua a realizar-se em todo o mundo, da Europa às Américas, da África à Ásia e à Oceânia comemora-se e luta-se no Dia Internacional do Trabalhador. Contra a repressão e a exploração capitalista, e em muitos casos prosseguindo ainda a luta pelas oito horas de trabalho diário. Em países onde nunca foram conquistadas e noutros, onde já as tiveram, e que no retrocesso civilizacional em curso lhes foram retiradas."
Em 2015 passam 125 anos desde a primeira vez em que o dia 1.º de Maio se realizou como Dia Internacional do Trabalhador, em 1890. Em homenagem aos mártires de Chicago, os Congressos Socialistas de Paris, de 1889, haviam aprovado uma resolução a declarar o 1.º de Maio do ano seguinte, «e para todo o sempre», o dia e…

Brasil : Crise capitalista, terceirização e parasitismo empresarial

Imagem
Crise capitalista, terceirização e parasitismo empresarial por Roberto Bitencourt da Silva - Diário Liberdade

"Um trabalhador barato, vulnerável, precarizado. Argumentam os representantes das entidades empresariais, como a Fiesp, que a adoção de tal lei será "boa para o país", gerando "maior produtividade". Tal lógica assume a ideia, velada, de que se o Brasil voltar ao período anterior à Revolução de 1930 incrementaria a sua economia. Se assim o for, porque não a escravidão? Empresa terceirizada, em pleno século XXI, desempenha o antigo papel consoante ao do traficante de escravos. Vive da venda de força de trabalho, de carne humana. Esse é o seu "produto", a sua "mercadoria"."
Capitalismo e a criação de valores de uso e de troca
Sem deixar de caracterizar uma propriedade peculiar à sua história, há anos o capitalismo vivencia uma aguda crise. Em razoável medida, a crise contemporânea deve-se às limitações da expansão territorial contí…

Vale deixa legado de destruição ambiental, cultural e social em três continentes

Imagem
Vale deixa legado de destruição ambiental, cultural e social em três continentespor Marcela Belchior -Adital

"Segundo o relatório, a empresa atua em nível global para "transformar recursos naturais em catalisadores de lucros, continuamente crescentes, para os acionistas, desconsiderando os direitos e expectativas dos trabalhadores, comunidades, populações tradicionais e gerações futuras a uma vida digna”. A Associação dos Atingidos aponta na atuação da Vale uma atitude arrogante, acumulação global, sustentabilidade para os lucros e não para as pessoas, além de um legado de severa destruição ambiental, cultural e social. ""Lucrar acima de tudo e todos, extraindo o máximo de recursos naturais, com os menores custos possíveis, a partir da desobstrução de qualquer entrave: legislação trabalhista e ambiental e direitos humanos”. É assim que a Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale interpreta a atual participação da empresa multinacional brasileira, que opera n…

Não passarão

Imagem
Não passarãopor Luís Carapinha

"O regime ditatorial usa como álibi a guerra civil e as ameaças à integridade do país, como se não fosse ao poder antipatriótico de Kiev e aos seus amos e patrocinadores de ambos os lados do Atlântico que coubessem as grandes responsabilidades da divisão nacional e escalada sangrenta do conflito ucraniano. Enquanto o Donbass permanece sob bloqueio econômico e financeiro – só as bombas continuam a passar –, a histeria anti-russa não dá tréguas e as forças nacionalistas pró-nazis são convertidas em heróis; não se perca também de vista o muito substancial festim privatizador e de redivisão da propriedade. "
Vive-se tempos perigosos no mundo e a Europa não é excepção. Atente-se na Grécia e na política e engrenagem da troika que prossegue com zelo felino a asfixia econômica e financeira do país, social e economicamente destroçado, preparando o terreno para um eventual cenário de ditadura directa do capital financeiro. 
Mas é na Ucrânia que o recuo an…

COMO FUNCIONA A DITADURA DO CONSUMO

Imagem
COMO FUNCIONA A DITADURA DO CONSUMOEduardo Galeano,  falecido neste abril de 2015, foi considerado um dos principais escritores e pensadores políticos da América Latina do último século. O uruguaio escreveu mais de 40 livros. Esta publicação é uma homenagem póstuma ao escritor.

"Os donos do mundo usam o mundo como se fosse descartável: uma mercadoria de vida efêmera, que se esgota como esgotam, pouco depois de nascer, as imagens que dispara a metralhadora da televisão e as modas e os ídolos que a publicidade lança, sem tréguas, no mercado. Mas a que outro mundo vamos nos mudar? Estamos todos obrigados a acreditar no conto de que Deus vendeu o planeta a umas quantas empresas, porque estando de mau humor decidiu privatizar o universo?"
A produção em série, em escala gigantesca, impõe em todo lado as suas pautas obrigatórias de consumo. Esta ditadura da uniformização obrigatória é mais devastadora que qualquer ditadura do partido único: impõe, no mundo inteiro, um modo de vida q…

Pela Paz, contra o fascismo e a guerra!

Imagem
70.º Aniversário da Vitória sobre o nazi-fascismoPela Paz, contra o fascismo e a guerra!


"O fascismo é a ditadura terrorista dos círculos mais reaccionários e agressivos do capital financeiro. Hitler foi um instrumento dos monopólios alemães que alimentaram, apoiaram e lucraram com a criminosa política nazi, incluindo com a mão-de-obra escrava dos prisioneiros dos campos de concentração. Nada disto pode ser esquecido. As tentativas para apagar as responsabilidades do grande capital na hecatombe da 2.ª Guerra Mundial e esconder a natureza de classe do nazi-fascismo devem ser firmemente combatidas."
Em 2 de Maio de 1945, culminando o imparável avanço do Exército Vermelho, a bandeira da União Soviética foi hasteada no Reichtag em Berlim e poucos dias depois a Alemanha nazi assinava a sua capitulação incondicional. O dia 9 de Maio de 1945, cujo 70.º aniversário este ano comemoramos, passou a ser conhecido como o «Dia da Vitória» porque ele simboliza a vitória sobre o nazi-fascismo…

Ucrânia - Imperialismo treina nazi-fascistas

Imagem
Ucrânia
Imperialismo treina nazi-fascistas
"«Os soldados da 173.ª Brigada Aerotransportada chegaram [à Ucrânia] esta semana», confirmou, sexta-feira, 17, um porta-voz do exército dos EUA, citado pela AFP, o qual revelou ainda que o contingente de adestramento vai operar durante seis meses na região de Lviv."

Cerca de 300 paraquedistas norte-americanos encontram-se já na Ucrânia em missão de instrução de 900 membros da Guarda Nacional, força paramilitar criada para acolher as milícias nazi-fascistas que funcionaram como tropa de choque no golpe de Estado de Fevereiro de 2014.
«Os soldados da 173.ª Brigada Aerotransportada chegaram [à Ucrânia] esta semana», confirmou, sexta-feira, 17, um porta-voz do exército dos EUA, citado pela AFP, o qual revelou ainda que o contingente de adestramento vai operar durante seis meses na região de Lviv.
Reagindo à chegada de mais um grupo de instrutores, que incluiu também militares britânicos e canadianos, segundo o Ministério dos Negócios Estr…

A Ucrânia Está Se Libertando

Imagem
A Ucrânia Está Se Libertando[N41]
por J. V. Stálin - 1 de Dezembro de 1918
"Os imperialistas austro-alemães foram os primeiros a ocupar a Ucrânia. A "Rada" e os "hétmãs" com a sua "independência nacional" não foram senão um joguete, um biombo que encobria comodamente a ocupação e sancionava formalmente a exploração da Ucrânia pelos imperialistas austro-alemães.
As infinitas humilhações e provações sofridas pela Ucrânia no tempo da ocupação austro-alemã, a destruição das organizações operárias e camponesas, a completa desorganização da indústria e das ferrovias, os enforcamentos e fuzilamentos, quem não conhece esses quadros rotineiros da Ucrânia "independente", sob a égide dos imperialistas austro-alemães?"
A Ucrânia e suas riquezas de há muito são objeto da exploração imperialista.
Antes da revolução, a Ucrânia era explorada pelos imperialistas do Ocidente, em surdina, por assim dizer, sem "operações militares". Depois de terem…

De onde vem o conservadorismo?

Imagem
De onde vem o conservadorismo?Por Mauro Luis Iasi
"A primeira incompreensão grave é que a hegemonia de uma classe social não se define, pelo menos como Gramsci pensava a questão, pela mera disputa das consciências sociais e da legitimidade, mas tem suas raízes nas relações sociais de produção e de propriedade determinantes numa certa época histórica. A hegemonia nasce da fábrica, dizia o comunista italiano. Querer reverter a direção moral de uma sociedade mantendo as relações sociais de produção e formas de propriedade inalterada é uma tarefa impossível."
"A iniciativa política e o trabalho ideológico da direita é facilitado por um mecanismo que Althusser identificava como “reconhecimento”, isto é, a ideologia só pode ser efetiva se o valor ideológico encontrar na consciência imediata algo que produza um reconhecimento e a sujeite a pessoa a determinadas práticas. Neste ponto, o funcionamento da ideologia é preciso. As relações sociais interiorizadas na forma de valores q…

A ameaça nuclear 65 anos depois

Imagem
Actualidade do «Apelo de Estocolmo»
A ameaça nuclear 65 anos depois por Frederico Carvalho

"As consequências de uma conflagração nuclear generalizada seriam de extrema gravidade para a sobrevivência da espécie humana no nosso planeta. Enquanto existirem armas atómicas a ameaça subsistirá"Olhando para trás, para um tempo histórico recente, pode dizer-se que o despertar de uma consciência colectiva da responsabilidade social associada ao conhecimento científico radicou em larga medida na perspectiva da utilização militar do «fogo atómico» – chamemos-lhe assim – que se tornou real num curto espaço de tempo, com o homicídio em massa da população civil de Hiroshima e Nagasaki, dificilmente justificável no plano militar mas de grande interesse para os seus mentores, como ensaio real, «no terreno», da operacionalidade, capacidade destrutiva e efeitos colaterais dos explosivos nucleares.

Abundantes testemunhos históricos apontam no sentido de que, ainda não se tinham calado as armas da…

O Império vulnerável

Imagem
O Império vulnerável
por Higino Polo*
"Se a China defende um concerto internacional onde os grandes países sejam co-responsáveis no planeta e a Rússia prossegue a sua laboriosa reconstrução e aspira consolidar a sua posição de grande potência, os Estados Unidos só perseguem a dominação cega, a hegemonia sobre um mundo angustiado que assiste ao agravamento de todos os perigos, à ameaça do apocalipse ecológico e de um capitalismo esclavagista que cobre de miséria, imundice, pó e exploração boa parte dos habitantes do planeta. As mais relevantes decisões estratégicas de Washington vão nos últimos anos nessa direcção e têm Pequim e Moscovo entre os seus objectivos: o desenvolvimento dos escudos antimísseis na Europa e na Ásia, as tentativas de sabotagem do projecto de Putin da «União Euro-Ásia», a exclusão da Rússia do G-8, bem como o «regresso à Ásia» para conter a pujança chinesa, como o apoio a golpes de Estado (nos últimos dois anos na Tailândia, Egipto e Ucrânia) e a ajuda militar…

Um cenário croata na Ucrânia

Imagem
Um cenário croata na Ucrâniapor The Saker
"Há também uma razão pragmática pela qual a Rússia não pode permitir que os nazis de Kiev invadam a Novorússia: não só o ataque seguinte inevitavelmente seria dirigido contra a Crimeia (eles já o prometeram inúmeras vezes!), mas mesmo os combates na Novorússia é provável que de alguma maneira atraíssem as forças russas.
A resultante final é esta: a Rússia nunca permitirá uma "Operação Tempestade" ("Operation Storm") na Novorússia. "

As possibilidades de paz, que sempre foram pequenas, estão a piorar dia a dia. Pessoalmente nunca acreditei que o Acordo Minsk-2 (AM2) fosse implementado pela junta de Kiev e não estou minimamente surpreendido. O máximo que a junta podia fazer era retirar algum (nem mesmo a maior parte!) do seu armamento pesado e a seguir trazer novas armas. Quanto aos passos políticos previstos pelo AM2, para a junta eles são simplesmente impensáveis. Na verdade, mesmo se Porochenko decidisse cumprir o …

A UE e a paz

Imagem
A UE e a paz
por João Ferreira



"O Tratado de Lisboa foi outro salto significativo. Reforçando mecanismos de decisão federal, concentrando o poder nas grandes potências, o tratado criou o cargo de «Alto Representante para a política externa da UE» (também chamado o «ministro dos negócios estrangeiros») e aprofundou a vertente militarista da UE. Sempre sob a tutela da NATO, criou a Agência Europeia de Defesa, tendo em vista o desenvolvimento de capacidades militares da UE, objectivo ao qual os estados-membros devem submeter as suas políticas de defesa."
"Perante uma ordem social iníqua a ameaça de guerra é constante. A integração capitalista europeia constitui, desde os seus alvores, não um garante mas sim uma ameaça à paz no continente."

Vale a pena voltar às declarações recentes do presidente da Comissão Europeia sobre a necessidade de constituição de um exército europeu, que se possa colocar ao serviço dapolítica externa da União Europeia, dando-lhe assim um outro alc…

Brasil : A bancada BBB: Bíblia, Boi e Bala

Imagem
A bancada BBB: Bíblia, Boi e Balapor Sergio Domingues
" para muito além de quaisquer particularidades religiosas ou setoriais, a bancada BBB tem opções de classe bem definidas. Seu objetivo é aprovar não apenas propostas conservadoras envolvendo direitos humanos e o agronegócio. Também é defender os interesses gerais do grande capital."
"Portanto, também a grande mídia desfruta do auxílio generoso dos BBBs. E estes contam com a tolerância dos monopólios de comunicação. Trata-se de uma poderosa aliança à qual só os trabalhadores precisam responder com a unidade de suas lutas. E, claro, com as armas de nossa mídia contra-hegemônica."
Dizem que foi a deputada petista Erika Kokay que criou a expressão "Bancada BBB: Bíblia, Boi e Bala". A expressão se refere à aliança entre deputados federais religiosos, ruralistas e defensores de soluções violentas para as questões sociais.
Somados, os BBB representam uns 40% dos votos da Câmara, segundo o Departamento Intersin…

Cinquenta Anos de Guerras Imperiais: Resultados e Perspectivas

Imagem
Cinquenta Anos de Guerras Imperiais: Resultados e Perspectivaspor James Petras
"Este artigo constitui uma notável tentativa de sistematização dos processos através dos quais os EUA aspiram ao poder global. É tanto mais interessante quanto permite constatar que a categoria “imperialismo”, mesmo quando abordada de um ponto de vista que diverge da concepção marxista-leninista, permite identificar traços e contradições essenciais do estado actual do capitalismo. Coisa que não sucede com os ideólogos que vêm tentando substituir o conceito de imperialismo pela palavra “império”."
Introdução
Nos últimos 50 anos, os EUA e as potências europeias envolveram-se em inúmeras guerras imperiais em todo o mundo. A vontade de supremacia mundial revestiu-se da retórica de “liderança do mundo”, cujas consequências foram devastadoras para os povos atingidos. As maiores, mais longas e mais numerosas guerras foram conduzidas pelos Estados Unidos. Presidentes de ambos os partidos dirigem e presidem …

Cinco sinais de que os EUA não estão superando a crise estrutural capitalista

Imagem
Cinco sinais de que os EUA não estão superando a crise estrutural capitalistapor RBA - [Antonio Gelis-Filho]
"Esquecida pela mídia ocidental, a guerra econômica contra a Rússia parece ter fracassado. O rublo continua existindo e o governo de Moscou não mostra qualquer sinal do enfraquecimento tão sonhado pelo ocidente. A situação na Ucrânia, cuja integração à União Europeia parece ter desaparecido da pauta de discussões em Bruxelas, evolui para uma verdadeira guerra interna pelo poder, onde “oligarca devora oligarca”. O leste do país tornou-se de fato independente. A histeria ocidental anti-Rússia parece ter consumido seu combustível, ao menos por enquanto. Com isso, mais uma trapalhada geopolítica ocidental perde fôlego, embora a proximidade de eleições em países europeus importantes sugira que políticos desesperados possam pensar em ações desesperadas."
Especulações com o petróleo e a influência geopolítica sobre o Oriente Médio: nada disso tem surtido mais efeito.
As últim…

Elementos da nova sexualidade

Imagem
Elementos da nova sexualidadepor Rubín Morro, Delegação de Paz das FARC-EP
"A identidade masculina se caracterizou por padrões patriarcais e estruturais em todas as manifestações da sociedade por milhares de anos, na competitividade e no poder. Traços como o medo, o pranto, a dor e outras manifestações do sentimento não cabem no estereótipo do homem. No longo processo da socialização do menino influem, normas e valores próprios de uma sociedade basicamente machista, que castram a verdadeira masculinidade. Impõem-se aos homens exclusivos conceitos como atividade, força, dureza, virilidade, abrigo, incentivo, proteção, invulnerabilidade, racionalidade, castigo, poder, respeito, provimento, coragem, resistência, ira, exterioridade, reflexão e ordenação. Logicamente, todo o contrário para a mulher: submissão, inferioridade, passividade, compreensão, espera, complacência, intuição, paciência, vulnerabilidade, debilidade, resistência, pranto, etc."
Elementos da nova masculinidade
“O…

EUA:Assassínio policial na Carolina do Sul

Imagem
Assassínio policial na Carolina do Sul
por Joseph Kishore


"A repressão policial no interior dos Estados Unidos é a expressão doméstica dos mesmos métodos que a classe dominante emprega para defender no estrangeiro os seus interesses, através de infindáveis guerras e assassínios por meio de drones. Dentro do país, a aristocracia das corporações e da finança, que acumulou a sua riqueza por meios fraudulentos e criminosos, está instalada sobre um sistema minado pela crise, com níveis historicamente sem precedentes de desigualdade ameaçando desencadear conflitos sociais explosivos. Responde-lhes com violência e brutalidade." Funcionários na Carolina do Sul processaram o agente da polícia de North Charleston Michael Slager pelo assassínio de Walter Scott, de cinquenta anos, pai de quatro crianças, no passado sábado. Esta decisão apenas se verificou após a divulgação de um vídeo do assassínio, gravado no telemóvel por uma testemunha e enviado para o New York Times por um advogado da…

Dom Eduardo Galeano de nós, os que não somos ninguém

Imagem
Dom Eduardo Galeano de nós, os que não somos ninguémpor Ilka Oliva Corado

"Porém, também choramos por ele nós, os invisíveis, os calvários fixados nos pés dos jornaleiros e bóias-frias, as mãos das crianças que pegam grãos de café nos sítios de outros, o ventre materno que leva nas suas entranhas o fruto de um estupro, o adolescente preso pelo único delito de ser de um subúrbio. Também choram por ele a “ralé”, os sem documentos, nós que somos do desarraigamento. As putas, os homossexuais, os viciados, os fétidos revolucionários de todos os tempos."
Sempre tive a certeza de que os seres extraordinários partem em dias de mau agouro, de céus com nuvens negras que choram a cântaros em forma de chuva. Dom Eduardo Galeano partiu num dia assim. Hoje, a neblina da primavera estadunidense amanheceu soluçando, se despedindo desde as primeiras horas da madrugada.
Nós, os párias, os impronunciáveis, os que temos a carne curtida durante séculos de exploração, nós os que somos iletrados, n…

Transgénicos, glifosato e cancro ( câncer )

Imagem
Transgénicos, glifosato e cancro ( câncer )por Sílvia Ribeiro

"Embora o glifosato existisse antes que os transgênicos, estes aumentaram brutalmente o seu uso e riscos. Agora que causaram dezenas de plantas resistentes ao glifosato, as transnacionais pressionam para liberar transgênicos com tóxicos ainda piores. Urge terminar com o mito da agricultura química, transgênica e industrial: alimentam uma minoria, poluem tudo e todos, ganham só um punhado de transnacionais. É um experimento em massa a nível global e os seus efeitos ficam a cada vez mais expostos."
A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou que o glifosato, o agrotóxico mais difundido no mundo, que se usa em 85% dos cultivos transgênicos, é causa provável de cancro (câncer).
Comunidades e famílias afetadas na Argentina, Paraguai e outros países vinham denunciando esta relação há anos, por sofrê-la diretamente. Agora as Nações Unidas confirmou-o.
É outro legado tóxico de Monsanto para a humanidade: a empresa desen…

Os BRICS e a ficção da "desdolarização"

Imagem
Os BRICS e a ficção da "desdolarização"
por Michel Chossudovsky
"A Índia, África do Sul e Brasil decidiram não acompanhar um esquema de múltiplas divisas, o qual teria permitido o desenvolvimento de comércio bilateral e actividades de investimento entre países BRICS, a operarem fora do âmbito do crédito denominado em dólar. De facto eles não têm a opção de adoptar esta decisão em vista das estritas condicionalidades de empréstimos impostas pelo FMI. Pesadamente endividados e com o fardo dos seus credores externos, todos os três países são pupilos fiéis do FMI-Banco Mundial. Os bancos centrais destes países são controlados pela Wall Street e o FMI. Para eles, entrar num esquema de desenvolvimento bancário "não dólar" ou "anti-dólar", com múltiplas divisas, exigiria aprovação prévia do FMI. " Os media financeiros, bem como segmentos dos media alternativos, estão a apontar um possível enfraquecimento do US dólar como divisa do comércio mundial devido à…

A Presidência acéfala e o programa único de Levy

Imagem
A Presidência acéfala e o programa único de Levy
por Luis Fernando Novoa Garzon*

"O passado e o futuro do país estão sendo empenhados em nome da atualização do bloco no poder promovida pelas frações capitalistas mais desenraizadas. Nada mal para bancos e conglomerados que procuram assegurar-se contra as oscilações da crise. O que mais desejam é sinalizar ao mundo que no Brasil haverá lucrativo refúgio para capitais de alta rotatividade e investimentos com alto retorno em grandes projetos de infraestrutura e de controle de recursos territoriais.
É necessário alcançar um estágio elevado de degradação para sustentar uma realpolitik de contemporização com essa sabotagem. Depreende-se daí que Dilma e os dirigentes do partido procurem tocar o bonde com renúncias parciais premiadas."

O golpe já aconteceu sem precisar do golpe em si. Dilma já foi impedida na prática e ela parece se sentir muito à vontade assim. A midiatização e carnavalização dos protestos contra a corrupção bastou par…

Portugal à venda: privatizações, dependência, resistência e corrupção

Imagem
Portugal à venda: privatizações, dependência, resistência e corrupção por Carlos Serrano Ferreira
"O atual governo conseguiu "avançar" inclusive para "soluções inovadoras" como a privatização da própria cidadania, permitindo que os ricos possam ter acesso facilitado em troca de "investimentos", em geral mera compra de imóveis, a partir do Visto Gold." " O atual governo português, como outros governos neoliberais, enxerga como saída para a crise pública a privatização e o desmonte do Estado.
Curiosamente, diga-se de passagem, são os mesmos que engendraram a crise da dívida pública ao transferir recursos estatais aos bancos, que criaram o fosso sem fundo em que se encontra o Estado português. O salvamento desses bancos, que lucraram bilhões com as bolhas especulativas, de forma privada, é a prova do domínio financeiro da economia e da política. E, a testemunha também de uma lógica terrível: os lucros são privados, os prejuízos são socializados.…