LOBBY DA MACONHA 3 - Erva natural ( ? ) que pode lhe prejudicar


MACONHA

Erva natural ( ? ) que pode lhe prejudicar



Maconha é a droga ilícita mais consumida no mundo, especialmente entre os jovens. É considerada por muitos como uma droga leve e cujo debate é muito complexo. Muitos desses usuários defendem apaixonadamente seu uso afirmando :

“a cannabis é benéfica comprovadamente nos casos de glaucoma,tdah,alzeimher,bronquite e esclerose multipla alem de ajudar sintomas da tpm e enxaquecas, nos anos 60 o fda elaborou um relatorio monstro para destruir a reputação da cannabis e apos 4 anos de estudos foram encontrados mais beneficios que maleficios, tanto que o estudo nunca foi revelado e é guardado –Dedo Verde em setembro/2010 transcrição literal”

Mas os médicos e especialistas falam ao contrário e dizem que a maconha possui mais de 400 componentes tóxicos e tem efeitos deletérios fortes quando do seu uso crônico.

Os principais efeitos da cannabis no organismo humano podem ser divididos em:

Psicológicos: sensação de relaxamento, euforia, aumento do prazer sexual, melhora e distorce os 5 sentidos, principalmente a visão e a audição.

Psicológicos Adversos: ansiedade, depressão, pânico, paranóia, diminuição da atenção, concentração e memória, podem ocorrer sintomas psicóticos.

· Físicos: Pupilas dilatadas, conjuntivas avermelhadas, boca seca, aumento do apetite, rinite / faringite, aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial, tosse seca, possibilidade de contrair bronquite e infecções pulmonares, empobrecimento da coordenação motora e da relação tempo/espaço.

· Reprodutivos: infertilidade, problemas menstruais, impotência, diminuição da libido, bebê com peso e tamanhos inferiores ao normal.

· Síndrome amotivacional: com esquecimentos e perda de memória, apatia geral, desmotivação, despersonalização.

Uso crônico excessivo
O uso excessivo de maconha pode causar no usuário algumas situações, como:

· Prejuízo na função e estrutura do cérebro, nos pulmões, no fígado e no coração.
· Distúrbio na coordenação motora, riso descontrolado, mãos trêmulas, perda de sincronia entre o pensamento e as respostas faciais.
· Comportamento anti-social, desconfiança, hostilidade à sociedade e à família, perda de afeto aos entes queridos e alienação.
· Dificuldades em testes que medem aptidões.
· Perda da inibição.
· Incapacidade de ajustamento laboral.
· Dificuldades de enfrentar desafios, lidar com frustrações e dominar novos problemas.
· Redução da concentração, pensamentos desorganizados, problemas com a conceituação de idéias.
· Incapacidade de julgar o tempo e o espaço.
· Perda ou diminuição da memória.
· Respostas emocionais distorcidas.

Dizer que os que são contrários a legalização partem de um “ponto de vista moralista “ é uma redução muito simplista deste tema. Vários médicos e especialistas em álcool e drogas ( Inpad, CNPQ) já publicaram vários trabalhos sobre este tema, explicando todos os efeitos nocivos à saúde humana.

A contradição que fica evidente, quando vemos as campanhas de saúde anti-tabagistas e as tentativas de liberação da maconha. Cigarro vicia muito ( talvez até mais que a maconha) , provoca diversos tipos de doenças gravíssimas, mas num deixa ninguém doidão. Existe comprovação que o uso crônico da maconha pode levar ao desenvolvimento de algumas doenças mentais EX- Esquizofrenia.

O usuário de drogas não deve e não pode ser criminalizado, isso deve ser claro, a legislação Brasileira já não o criminaliza.

A questão do álcool e das drogas devem ser tratadas como SAÚDE PÚBLICA, com assistência universal, integral e gratuita.

A maconha transforma o usuário num alienado, apático em relação a questões sociais e políticas. Se acham “rebeldes” por fumar um “beque” e “ficar de boa” e sua única reivindicação passa a ser a legalização dessa coisa que, literalmente, é uma droga.


O MAFARRICO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Redesenhar o mapa da Federação Russa: Partição da Rússia após uma III Guerra Mundial?

DESENVOLVIMENTO DO HOMEM E DA SOCIEDADE - Da comunidade primitiva ao fim do feudalismo

O movimento operário e sindical