Pesquisa Mafarrico

Translate

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Os imperialistas nanicos dos BRICS

Os imperialistas nanicos dos BRICS
por Sergio Domingues
 
"O pior é ver boa parte da esquerda justificando essa espécie de colonialismo júnior. Apoiando esses dirigentes politicamente nanicos, que disputam lugar na mesa sangrenta do imperialismo sênior."
 
Os chamados BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) criaram seu próprio fundo de emergência. São US$ 100 bilhões para eventuais situações de crise econômica. Seria uma alternativa ao Fundo Monetário Internacional, dominado por Estados Unidos e Europa.

A palavra "alternativa" não significa necessariamente algo oposto em relação àquilo de que pretende se diferenciar. Neste caso, está mais para imitação com ares de farsa. É o que se deduz de matéria da BBC Brasil sobre o evento. Com o título "ONGs criticam 'postura imperialista' dos BRICS", o texto foi publicado por Ruth Costas, em 27/03.

O encontro aconteceu no Centro de Conferência Internacional de Durban, África do Sul. Os líderes políticos e empresários dos chamados "emergentes" se reuniram sob um esquema de proteção digno de imperialistas de primeiro time, com direito a barreiras e muros de ferro e tropas numerosas de policiais.
 


Mas não é só nisso que os líderes dos BRICS imitam governantes europeus e americanos. O avanço da China sobre a África, por exemplo, não deve nada aos colonialistas de séculos passados. Logo atrás, vêm as empresas brasileiras, tentando dar sua contribuição na exploração social e destruição ambiental do continente.

O encontro conseguiu criar até um evento paralelo, como nos eventos do imperialismo tradicional. Cerca de 40 ONGS, sindicatos e outros movimentos criaram o "BRICS a partir de baixo".

O pior é ver boa parte da esquerda justificando essa espécie de colonialismo júnior. Apoiando esses dirigentes politicamente nanicos, que disputam lugar na mesa sangrenta do imperialismo sênior.
 
 
Fonte: Diário Liberdade em www.diarioliberdade.org
 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário