Pesquisa Mafarrico

Translate

quinta-feira, 9 de maio de 2013

A vitória da URSS sôbre as hordas nazifascistas na II guerra mundial - Feliz dia da Vitória

NUNCA ESQUECER A VITÓRIA DA URSS SÔBRE AS HORDAS NAZISTAS NA II GUERRA.
"Nos nossos dias, urge dar combate a toda desinformação e manipulação que se faz sobre o tema. Os comunistas sempre estiveram na linha-de-frente do combate ao nazi-fascismo. Como referido, a luta contra a criminalização do comunismo não é apenas uma luta de comunistas. É uma luta de todos, mulheres e homens, que defendem a democracia e o progresso social."




FELIZ DIA DA VITÓRIA !!

 
 
 Glória Eterna á Luta do exército Vermelho, do Povo Soviético e do PCUS - sob a direção do Camarada Stálin - para derrotar a coisa mais monstruosa gerada e parida pelo Capitalismo : O Nazi-fascismo.
 
 

Anticomunismo e revisão da história 


Não estaria errado dizer-se que a União Soviética deu novos mundos ao mundo dos trabalhadores. O mundo de salários dignos, o mundo da emancipação da mulher, o mundo das férias pagas, o mundo da educação e da saúde para todos, o mundo da cultura e do desporto, para enumerar apenas alguns. Mas, acima de tudo, o mundo da paz. E foi, por esse mundo de paz, que morreram milhões e milhões de soviéticos cuja memória não pode ser manchada culpando-os pela Segunda Guerra Mundial.

A União Soviética estava farta de guerras. Principalmente, de guerras que nunca iniciou. Depois da Primeira Guerra Mundial, a pátria de Lenine teve de enfrentar a ofensiva da coligação de vários países que pretendiam derrubar o primeiro Estado governado por operários e camponeses. Após a vitória, teve de combater conspirações e sabotagens contra as suas jovens estruturas. Para depois se ver confrontada com o crescimento do fascismo por toda a Europa sem qualquer oposição das democracias burguesas. Enfrentou tudo isto sem a solidariedade dos países que se afirmavam pacíficos e democráticos.

Dizer que a União Soviética esteve na origem da Segunda Guerra Mundial é aviltante. Recordemos quem a tentou evitar desde o início e quem nada fez para a evitar. Recordemos quem apoiou de forma ativa a República Espanhola e quem preferiu fechar os olhos ao crescente intervencionismo nazi-fascista no apoio aos franquistas. Recordemos quem alinhou na " política de apaziguamento " e assinou os Acordos de Munique, em que se cedeu à maioria das exigências de Adolf Hitler.

Também hoje há os que dizem lutar pela paz e pela liberdade enquanto lançam ofensivas militares em nome de interesses políticos e econômicos. São os mesmos que nos seus países promovem a exploração e a miséria para alimentar os bolsos de uma minoria. E é precisamente a esses que interessa a criminalização dos comunistas e , se necessário, como aconteceu no passado, a repressão sobre progressistas e democratas que não sendo comunistas defendem a liberdade.

Nos nossos dias, urge dar combate a toda desinformação e manipulação que se faz sobre o tema. Os comunistas sempre estiveram na linha-de-frente do combate ao nazi-fascismo. Como referido, a luta contra a criminalização do comunismo não é apenas uma luta de comunistas. É uma luta de todos, mulheres e homens, que defendem a democracia e o progresso social.

 
Baseado no texto "Anticomunismo e revisão da história" no sítio da URAP 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário