Pesquisa Mafarrico

Translate

domingo, 4 de setembro de 2016

ALMA DE CORNO - O Golpista

Tu fazes sempre mal. És como um cú,
Que ainda que esteja limpo é sempre sujo.
Homenagem ao Golpista ( Poema de Fernando Pessoa)
ALMA DE CORNO



Alma de côrno – isto é, dura como isso;
Cara que nem servia para rabo;
Idéas e intenções taes que o diabo
As recusou a ter a seu serviço –

Ó lama feita vida! ó trampa em viço!
Se é p’ra ti todo o insulto cheira a gabo
– Ó do Hindustão da sordidez nababo!
Universal e essencial enguiço!

De ti se suja a imaginação
Ao querer descrever-te em verso. Tu
Fazes dôr de barriga á inspiração.

Quér faças bem ou mal, hyper-sabujo,
Tu fazes sempre mal. És como um cú,
Que ainda que esteja limpo é sempre sujo.


Fernando Pessoa
Nota: reprodução do poema respeitando a grafia original do fac-símile.








Fonte:http://aspalavrassaoarmas.blogspot.com.br/2016/08/a-temer-e-sua-corja.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário