A barbárie imperialista: 59% das viúvas do Iraque perderam os maridos durante a ocupação dos EUA

Estudo: 59% das viúvas do Iraque perderam os maridos durante a ocupação dos EUA

Por: Jason Ditz
Tribunal Iraque
Fonte: Uruknet | Tradução de F.Macias




É do senso comum que a taxa de mortalidade maciça, ao longo dos oito anos de ocupação no Iraque geraria mais viúvas. No entanto, um novo estudo realizado pela organização de ajuda humanitária Relief International encontrou um problema muito maior do que alguém provavelmente imaginaria.



O estudo constatou que cerca de 10% das mulheres do Iraque, quase 1 milhão e meio, são viúvas. Destas, 59% perderam os maridos desde que a ocupação dos EUA começou em 2003.

Basta um pouco de matemática para mostrar que, para haver cerca de 900.000 mulheres que perderam os maridos desde 2003, esse número, mais uma vez, aponta para que a quantidade de mortos civis desde 2003 seja muito maior do que os EUA alguma vez quiseram admitir.

Mas enquanto isso mostra a enormidade da violência do passado, o relatório não é sobre isso, mas sim apontar para o principal problema actual. Ser viúva num Iraque dilacerado pela guerra é difícil, e é provável que essas viúvas em desespero sejam vulneráveis ao recrutamento para ataques terroristas. Mais 900.000 iraquianas desesperadas apontam de novo para uma guerra que está longe de acabar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Redesenhar o mapa da Federação Russa: Partição da Rússia após uma III Guerra Mundial?

DESENVOLVIMENTO DO HOMEM E DA SOCIEDADE - Da comunidade primitiva ao fim do feudalismo

O movimento operário e sindical